quem sou

Sou Ines Trost, socióloga, educadora e cozinheira por paixão, com passagens pelo exterior e terceiro setor e ex-proprietária de um delivery de produtos orgânicos. Por tradição familiar, na minha casa a comida é inseparável do bem-estar e da sociabilidade, de modo que a escolha dos ingredientes e o preparo das refeições sempre foram e são tarefa não delegável. O interesse pela comida me fez chegar ao movimento Real Food e à medicina funcional, ambos dos EUA, e assim obtive a certificação de coach pela instituição FDN – Functional Diagnostic Nutrition (EUA). Atualmente curso Gastronomia Funcional na VPOnline.

Como a medicina funcional evita receitar medicamentos e se baseia fortemente na informação dos pacientes sobre os benefícios de mudanças no estilo de vida ao alcance de qualquer um, a informação é o principal propósito deste site. Também a busca por maior eqüidade social e a emancipação através do conhecimento me faz querer dividi-lo – é a colaboração em vez da competição – já que este nosso mundo certamente se tornará cada vez melhor se cada um der a sua contribuição.

Sou autora e pesquisadora não profissional e independente – conforme denominações em inglês e traduzidas livremente, de citizen science (ciência cidadã), crowd-sourced science (busca em redes abertas de conhecimento) ou volunteer monitoring (monitoramento voluntário). As fontes – livros, sites, vídeos, simpósios online, webinars – são majoritariamente dos EUA, onde se pesquisa e se publica mais e muitos dos resultados são de acesso público via internet.

missão e visão

Missão

Informar e motivar os leitores a cuidarem bem de si para alcançar bem-estar físico, emocional e espiritual, tornando-os mais felizes, saudáveis e cheios de energia.

Visão

Ser site de referência para assuntos relacionados a um estilo de vida saudável sob perspectivas científica e holística, e a influência sobre ele de fatores como alimentação, sono, exercício, elementos emocionais, sociais e espirituais, etc.

homenagens

Homenageio Hipócrates, considerado o pai da medicina, por sua capacidade de observação e dedução que lhe permitiram obter um vasto conhecimento sobre o corpo e a saúde humanos, isto há 2.400 anos atrás, num tempo em que nem dissecar corpos era permitido. A medicina hipocrática foi a primeira a se afastar dos elementos mítico-mágicos até então prevalentes, e em seu âmago era uma medicina espiritualizada e holística, já que se valia de técnicas terapêuticas como exercícios de respiração e movimentos semelhantes aos do yoga.Também aprecio medicinas tradicionais como a ayurvédica e a chinesa, que já sabiam há milênios muita coisa sobre saúde que hoje a ciência alardeia como nova descoberta. Elas usavam e continuam usando a alimentação e o estilo de vida como instrumento terapêutico preferencial, já que são os menos agressivos ao organismo e que trazem os melhores resultados no longo prazo.A última homenagem vai para os criadores da medicina funcional, que embora tivessem uma formação médica convencional, perceberam na prática diária, ao lidar com doenças crônicas, que muitos dos medicamentos não só não curavam os pacientes, mas criavam novos problemas antes inexistentes (como efeitos colaterais de medicamentos). Perceberam então que uma medicina melhor, mais eficiente e mais barata, é aquela que procura sanar a/s causa/s dos males, que geralmente decorre/m de um estilo de vida inadequado, e estabeleceram alternativas de tratamento mais eficazes e menos agressivas ao organismo - tais como alimentação, exercícios, hábitos e pensamentos saudáveis - do que os medicamentos alopáticos.

fontes

Este site segue a maior parte das recomendações do Código Alimentar Brasileiro. Nos assuntos referentes a gorduras e ingestão de sal, porém, o código não me parece atualizado, embora seja, no geral, um documento bem elaborado, que deveria ser fonte de consulta para todos que queiram se alimentar bem.Diversas das informações aqui prestadas provém da medicina funcional, uma especialidade médica relativamente nova nos EUA, que procura sempre a causa da doença e apoia a capacidade natural do corpo para restabelecer sua saúde, eliminando “as pedras no caminho”. Diferentemente da prática médica tradicional centrada na doença e seus sintomas, a medicina funcional foca a pessoa inteira, incluindo sua história e o ambiente e circunstâncias em que vive, empenhando paciente e terapeuta numa real parceria. As terapias são prioritariamente não agressivas, como dietas, suplementos alimentares e mudanças no estilo de vida. No Brasil é mais conhecida a medicina do estilo de vida, que adota princípios e terapias muito semelhantes.Procurei sempre priorizar as fontes nos textos em língua portuguesa, porém as em língua inglesa são bem mais numerosas e fáceis de achar, já que se pesquisa e publica muito mais neste idioma.

aviso!

O presente site tem propósito de somente informar e conscientizar, e não visa substituir a orientação de médicos ou outros profissionais da saúde, nem diagnosticar ou tratar quaisquer doenças. Antes de alterar sua dieta, exercícios ou estilo de vida em geral, consulte seu médico ou nutricionista de confiança.Conheça nosso nossa Política de Privacidade e nossas Recomendações clicando nos botões abaixo: